Artigos

A Categorização dos Municípios do Mapa Turístico do Brasil Ernesto Britto Ribeiro
Sócio da Cria Rumo Consultoria
 
 
De tempos em tempos, o Ministério do Turismo apresenta um instrumento inovador para a gestão do turismo brasileiro. Assim foi com a municipalização, a regionalização do turismo e logo após com os destinos indutores. A bola da vez é a Categorização dos Municípios das Regiões Turísticas do Mapa do Turismo Brasileiro. Na essência, é uma boa notícia para quem trabalha no setor, pois evidencia que o Ministério está se movimentando e buscando acertar.
 
Mas o que é Categorização? O Ministério do Turismo listou todos os municípios das 303 regiões turísticas do Brasil e os agrupou conforme o desempenho de suas economias do turismo, através de quatro critérios bem objetivos: número de empregos formais no setor de hospedagem, número de estabelecimentos formais no setor de hospedagem, fluxo turístico doméstico e fluxo turístico internacional. Essas informações são oficiais e não deixam margem para interpretações pessoais, como por exemplo, atratividade e qualidade dos serviços. Apenas aspectos oficiais e ligados à economia do turismo. Não sei se é o melhor critério, mas é um critério objetivo. Desse trabalho surgiram cinco categorias de municípios (A, B, C, D e E). E para que serve isso?
 
A categorização deverá servir para otimizar a distribuição de recursos públicos e para aperfeiçoar a gestão pública do turismo na medida em que orienta o planejamento turístico e subsidia a tomada de decisões para os gestores do Ministério do Turismo, das secretarias estaduais e das prefeituras municipais. Deverá servir como uma orientação objetiva para alocar recursos para esse ou aquele município, a depender do nível em que se encontra a sua economia do turismo. Certamente as necessidades de apoio para municípios categoria C devem ser diferentes das necessidades dos municípios categoria A. Isso já ajuda a errar menos.
 
O resultado é o seguinte: 51 municípios na categoria A, sendo 4 na Bahia; 167 municípios na categoria B, sendo 15 na Bahia; 504 municípios na categoria C, sendo 31 na Bahia; 1.841 municípios na categoria D, sendo 87 na Bahia; e por fim, 782 municípios na categoria E, sendo 17 na Bahia. Dos 3.345 municípios categorizados, 154 estão nas regiões turísticas da Bahia. Isso me faz perceber o quanto ainda podemos melhorar na estruturação do turismo em nossos municípios, a começar pela formalização das empresas de turismo, sobretudo nos meios de hospedagem. Isso já seria suficiente para colocar os municípios baianos em melhor situação.
 
Os quatro municípios baianos melhor classificados foram Salvador, Cairu (Morro de São Paulo), Mata de São João (Praia do Forte) e Porto Seguro. Esses são os destinos consolidados e mais bem estruturados do estado. Na categoria B ficaram municípios turísticos como Valença, Ilhéus, Itacaré e Lençóis. Alguns destinos tipicamente voltados para o turismo de negócios também ficaram nessa categoria, como Feira de Santana, Vitória da Conquista, Barreiras e Luis Eduardo Magalhães. Os outros da categoria B são Bom Jesus da Lapa, Camaçari, Itabuna, Juazeiro, Maraú, Prado e Vera Cruz. Esses dezenove municípios classificados nas categorias A  e B são as estrelas e as vacas leiteiras do turismo baiano, para usar a classificação da Matriz BCG (Boston Consulting Group), e devem ter toda a atenção dos gestores públicos federais, estaduais e municipais. Alguns municípios considerados turísticos, como Lauro de Freitas, Itaparica e Cachoeira ficaram na categoria C. Nas categorias D e E estão os municípios com economia do turismo ainda incipiente como São Felix e Uruçuca.
 
E agora, o que fazer? Duas alternativas: partir ativamente para elaborar planos de desenvolvimento turístico, planos de marketing e outros instrumentos de planejamento turístico e implantá-los visando o crescimento ordenado da economia do turismo em nossos municípios ou aguardar passivamente que o Ministério do Turismo sinalize sobre o apoio que dará para que esses municípios estimulem suas economias do turismo. Eu optaria pela primeira alternativa. E você?