Como a formatação de produtos/serviços criativos pode transformar seu negócio com inovação

Em meio à crise econômica gerada pela pandemia do Coronavírus, muitas empresas precisaram pausar suas atividades por decretos municipais e estaduais, colocar seus funcionários em home office, e reinventar seus serviços e produtos para driblar o momento de baixa no consumo. Exemplos como dos restaurantes que começaram a oferecer o serviço de entrega em delivery, as costureiras que passaram a produzir máscaras ao invés de roupas, farmácias de manipulação focando na produção de álcool em gel, supermercados investindo suas fichas nas vendas online... Diante do cenário, os empresários perceberam que o verbo é inovar para não quebrar.
 
Para começar o processo de formatação, o empresário precisa desmistificar o termo inovação. Inovação é algo que você faz com foco no mercado, no que o cliente precisa. Não necessariamente precisa ser algo completamente novo, mas que seja significativamente melhorado. Também não precisa ser uma mudança no seu produto, pode ser no serviço de entrega, por exemplo.
 
Como a formatação de novos e criativos produtos/serviços é uma das expertises da Cria Rumo, resolvemos trazer aqui algumas dicas da nossa sócia e mestre em Desenvolvimento Regional, Rejane Mira, de como aproveitar o momento de crise para transformar seu negócio com criatividade. Confira a entrevista:
 
1. Como o empreendedor pode aproveitar o momento de quarentena e “amornamento” da economia para gerar produtos criativos e inovadores para o seu negócio? Qual o primeiro passo? Para onde ele deve olhar para começar a pensar?
R:
O primeiro passo que o empresário deve ter nesse momento em que ele está com suas atividades suspensas ou adaptadas a esse momento de quarentena, é rever seus produtos e serviços. Avaliar de fato onde ele precisa inovar. Atentar-se ao feedback dos clientes, dicas que foram dadas pelos fornecedores, funcionários... talvez seja o momento de aplicar algum tipo de pesquisa para detectar onde e o que pode ser melhorado ou modificado. É olhar para o negócio com uma verdadeira lupa de aumento para enxergar os pontos de melhoria, observando o que ele tem para ofertar e o que de fato o mercado precisa.
 
FOCO NO CLIENTE. Se começar olhando para o produto pode ser que você crie um produto maravilhoso que ninguém se interessa. Ao começar olhando para o cliente, a tendência é que você desenvolva algo que seja útil para aquele grupo de pessoas.
 
2. Qual o benefício que a formatação um produto criativo inovador pode trazer para o negócio?
R:
Um novo produto ou serviço traz animo para sua empresa, animo para o caixa, com isso, traz também uma expectativa de sucesso. Gera um vigor interessante na equipe, uma vontade de fazer a coisa acontecer. Sair do lugar comum e fazer algo diferente revigora a energia da empresa. Muitas vezes, esse novo produto/serviço é um simples ajuste do que já existe. É uma reformulação do que a empresa já oferece com um novo olhar para o mercado e cenário atual.
 
Em resumo: ao focar em criar um novo valor para o cliente, você acaba trazendo um novo resultado para sua empresa.
 
3. Como ser criativo no momento de crise com tantos outros problemas para resolver dentro do negócio? Devo investir dinheiro nisso? O que devo priorizar?
R:
Para formatar um novo produto/serviço criativo muitas vezes não significa fazer um investimento alto. Significa fazer diferente, melhorar o que já se tem. Criatividade está em perceber o que os outros não percebem, em ousar, inovar, fazer diferente. Muitas pessoas têm um conceito errado sobre inovação, acham que necessariamente precisa estar ligado a tecnologia ou com começar um novo processo. Mas, muitas vezes, é apenas fazer um ajuste do que já se tem.
 
Ser criativo é se permitir sair do lugar comum. É isso que dá aquele frio na barriga que faz com a energia se renove, que dê vontade de fazer acontecer. Então, nesse momento de crise, se houver necessidade de investimento para essa formatação, o empresário precisa planejar e calcular muito bem, sempre priorizando trabalhar com foco objetivo em resultados. Ele pode partir da definição de “em que área vou inovar?”. Talvez o seu produto já seja excelente e venda por si só, mas se você olhar para logística de entrega, para a forma de divulgação... pode ser que encontre uma forma de fazer algo novo para melhorar seus resultados.
 
4.  Um empreendimento de qualquer natureza pode gerar um produto/serviço criativo?
R: Qualquer empreendedor de qualquer área pode formatar novos produtos ou serviços criativos! Sempre pode ser feito diferente, melhor, para um novo público, de maneira diferente. A criatividade pode surgir em todas as áreas, pode ser na forma de divulgar, de vender, de precificar, distribuir ou até no processo de feitura/oferecimento desse produto ou serviço. Ele pode ser para um novo segmento ou ter ajustes para atender públicos diferenciados, por exemplo.
 
5. Cite três passos (ou dicas) para começar um produto/serviço criativo e sair da crise com mais força.
R: CRIE E ACREDITE: Nós temos muitos exemplos de como a crise proporciona criação. Estamos passando por um momento que em que as costureiras estão reinventando os seus serviços ofertando máscaras; como os estabelecimentos estão se organizando para fazer entregas em delivery... estamos percebendo como essa pandemia está mudando o costumes das pessoas que irão com certeza se precaver mais.
 
Essa situação atual que parece ser caótica e de crise, vai nos proporcionar a possibilidade de criar, de perceber demandas outras que não existiam ainda para cada produto ou serviço que é ofertado hoje. A dica é NÃO SUBESTIME e se permita observar um pouco distante o que existe, em como seu produto ou serviço pode ser melhor. Pergunte! Pergunte para seu cliente, seu fornecedor, mas principalmente: para o seu colaborador. Às vezes a oportunidade está do nosso lado e só precisamos ter a sensibilidade para perceber.
 
FAÇA DE FORMA COLABORATIVA: Crie internamente um comitê de inovação, tendo uma pessoa central, misturando as áreas (atendimento, marketing, logística...). Reuna pessoas, mesmo que virtualmente, para discutir possibilidades. Assim, através do debate das áreas, surgem novas e boas ideias.
 
Para começar se faça as seguintes perguntas:
  1. Em que área da sua empresa você gostaria de modificar?
  2. Quais pessoas você poderia reunir para pensar em inovações para essa área escolhida?
  3. Qual o produto ou serviço que vc sempre teve vontade de oferecer, mas por algum motivo não executou? 
PARAMETRIZE: Outra dica importante é, como qualquer outra área da empresa, a inovação precisa ter uma métrica. O empresário precisa pensar em qual o alcance e meta será relevante para medir se aquela inovação realmente valeu a pena para seu negócio.
 


Leia mais


Editorial, 14.ABRIL.2020 | Postado em Geral
  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...