O planejamento ajudando a diminuir a ansiedade

Ernesto Britto Ribeiro*

Nos mais de 200 treinamentos que apliquei nos últimos 10 anos, ouvi dezenas de vezes o comentário de que ‘brasileiro não planeja’ e que o não planejar é cultural em nosso país. Em contraponto, eu sempre considerei que ter as atividades mais ou menos planejadas e ter um plano de ação para seguir seriam um antídoto contra a ansiedade natural de quem tem muitas coisas para realizar ao mesmo tempo. Pois que, nesta semana, recebi de uma amiga uma matéria da Exame afirmando que, segundo a OMS, o Brasil é o país com o maior contingente de ansiosos do mundo, tendo quase 19 milhões de pessoas com esse transtorno. A matéria segue falando de remédios e depoimentos de autoridades científicas, mas a essência da matéria me chamou a atenção.

Ligando uma coisa à outra, o não planejar e a ansiedade, mas longe de querer tirar conclusões científicas, insisto aos empresários que a sensação de ter um roteiro a seguir, ter um cronograma para dar conta, tranquiliza a mente e deixa a pessoa mais confiante de que será possível concluir suas tarefas no prazo. Isso é um fato e uma das externalidades positivas do ato de planejar. É muito comum ouvir depoimentos de participantes de nossos cursos dizendo que aumentou a sensação de que é possível concluir suas tarefas no prazo correto, após realizar o planejamento das atividades, e que antes disso achava ser impossível fazer tudo que precisava para alcançar suas metas. A sensação de que as metas podem até ser aumentadas também é corriqueira.

O que geralmente proponho é um planejamento empresarial simples, sem muita sofisticação, mas que atenda a um pressuposto básico: orientar o empresário sobre as próximas ações a serem executadas. Antes de mais nada, o empresário deve ser alguém que sabe o que quer, onde quer chegar e o que deseja do futuro de seu negócio. Ou seja, alguém que decide antes onde quer chegar e faz por onde alcançar o que deseja.

O processo de planejar é essencialmente um roteiro para decidir questões operacionais e até estratégicas com antecedência, de tal forma ordenada e estruturada que elimina boa parte do risco do fracasso. O planejamento funciona como um seguro contra o não saber o que fazer. Aliado a isso, faz pensar sobre o que preciso melhorar e realizar para que tudo o que planejei possa se tornar realidade. O planejamento é um antidoto contra a ansiedade desnecessária e um importante gerador de ações. O empresário que planeja o seu negócio ou a retomada de suas atividades por exemplo, cria um vínculo com o Plano que não o deixa abandoná-lo. Essa sensação de estar direcionado para o resultado que deseja torna-se tão forte que empodera o empresário e faz ele produzir e alcançar seus objetivos.

Nesses tempos de pandemia e quarentena a quantidade de pessoas que falam de ansiedade e de não saber por onde começar a agir é assustadora. E é normal. Para sair dessa sinuca, procure ajuda de treinamentos e consultorias, antes que seja preciso procurar ajuda médica.

E você o que está fazendo para reduzir a ansiedade e produzir o que deseja?
 
* Sócio da Cria Rumo Consultoria.
Instagram: @CriaRumo


Leia mais


Editorial, 13.JULHO.2020 | Postado em Geral
  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...